Especialista tira dúvidas sobre o que pode mudar na política de imigração

Faltando uma semana para a eleição dos Estados Unidos, quase 60 milhões já votaram antecipadamente no país americano. O número equivale a 43% de todos os votos da eleição de 2016. Mas será que a entrada de um novo governante ou a reeleição do atual pode alterar a política de imigração de um país? Barrar a entrada de estrangeiros depende de uma muitos fatores e também de um presidente, que pode já ter pré-estabelecido uma série de exigências para permanência de pessoas de outras nacionalidades.

Na avaliação da advogada de imigração da TS Immigration Fernanda Cortes, não existe previsão de que qualquer possível restrição se aplique as pessoas que receberam convites profissionais e exercem atividades consideradas essenciais. “O que acontecerá depois das eleições é muito especulativo. Mesmo que alguma regulamentação seja implementada, esse tipo de restrição não costuma alterar os vistos de trabalho para os que tenham recebido uma oferta de emprego de alguma empresa americana. Também não impede a chegada de trabalhadores em áreas consideradas prioritárias, como saúde e segurança”, alerta a especialista.

Os profissionais de saúde estão em alta. No ano passado, a Associação de Colégios Médicos Americanos (AAMC, na sigla em inglês) estimou que, até o ano de 2030, haverá um déficit de 121 mil médicos nos EUA. No final de março, o Departamento de Estado dos Estados Unidos publicou em seu site um comunicado em que incentiva médicos e enfermeiros estrangeiros a trabalharem no país, em troca de um visto de permanência, que pode se estender por até 7 anos.

A ocasião é uma valiosa oportunidade de migrar legalmente. “O visto EB-NIW, por exemplo, atende a esse interesse nacional e concede o Green Card definitivo para o profissional. Existem muitas pessoas qualificadas no Brasil e que podem atender uma demanda extremamente solicitada em outro país”, reitera.

A estimativa mais recente do Ministério das Relações Exteriores (Itamaraty) é de que haja mais de 3 milhões de brasileiros morando no exterior. Desses, um milhão e quatrocentos mil estão somente nos EUA, sendo 300 mil só no estado da Flórida. Muitos escolhem investir nos Estados Unidos por fatores ligados a segurança, oportunidades de trabalho, universidades e hospitais mais modernos.

Sobre a TS Immigration
O escritório constituído por advogados e profissionais com o objetivo de atender brasileiros interessados em trabalhar nos Estados Unidos. O trabalho é focado na assessoria jurídica e apoio na aquisição de todos os documentos necessários.

Veja mais em https://www.tsimmigration.com/