Teatro de Açúcar abre temporada de CLEÓPATRA

O público de Ceilândia, Brasília e Taguatinga terá a oportunidade de assistir a mais um espetáculo da Cia.Teatro de Açúcar: Cleopatra.

Cleópatra é o 12º espetáculo da companhia Teatro de Açúcar, que completa dez anos de atividades. Seguindo a linha de todos os trabalhos da cia., a dramaturgia original nasceu conectada a um intenso trabalho de interpretação (elencando sete atores de diferentes produções do histórico da cia.), em sintonia com temas de relevância no panorama social e político atuais.

A montagem conta com profissionais criadores, oriundos de diferentes escolas e formações, e criou um painel cênico que discute temas como arte, modernidade, transformações políticas e comportamentais, expectativa pelo futuro e diversos outros temas que se ramificam regidos por um fio condutor: a necessidade de pensar sobre o papel social e transformador dos indivíduos e de seus inventos e escolhas. Assim, Cleópatra é um espetáculo de caráter tão poético e lúdico quanto político e questionador, mergulhando no universo da  estética e do consumo, para trazer à tona o retrato de uma nova sociedade que conseguiu desfigurar as últimas evidências humanas de seu sistema social.

O jogo dramatúrgico usa como pano de fundo um tempo futurista, marcado por um tipo de beleza tão padronizada, que conseguiu chegar à um status de norma imprescindível para a convivência em grupo. O espetáculo, formado por oito cenas curtas, nos apresenta diferentes personagens, locais e situações, compondo o mosaico de uma época em profunda transformação, tanto pelo avanço quanto pela degradação, um tempo onde se adensa e evidencia a complexidade humana. As cenas que se desenham são diferentes representações do nosso tempo e da nossa visão de uma época nova que se prenuncia, onde a possibilidade de realizar desejos, também pode nos fazer reféns das coisas que ambicionamos.

Todas as cenas, aparentemente isoladas entre si, são ligadas pelo elo de um argumento comum: o impasse entre a praticidade ideal de uma tecnologia superestimada e a complexidade do fator humano submetido às raias da total negligência.

As cenas do espetáculo transcorrem nos diferentes locais que a dramaturgia vai criando: uma sala de espera, uma galeria de arte, um grande aquário público, um centro de conferências motivacionais com seus líderes em aspectos a um só tempo místicos e técnicos, um programa de TV. Esses locais diferentes atiçam as discussões de uma comunidade em convulsão. O espetáculo também lança pequenas provocações sobre noções de arte – o sagrado e o sexual.

Curioso? Para quem quer assistir à obra, três opções de circulação pelo DF estarão acontecendo no mês de agosto.

Confira a agenda:

SESC Newton Rossi – Ceilândia
28/07 – 20h
29/07 – 17h* e 20h

SESC Garagem – Brasília
11/08 – 20h
12/08 – 17* e 20h

SESC Paulo Autran – Taguatinga
17/08 – 20h
18/08 – 20h
19/08 – 20h*

Todas as sessões tem Entrada Franca
*Apresentações com acessibilidade em LIBRAS

CLEOPATRA 
Realização: Teatro de Açúcar
Apoio: Alliance Française/ Brasília e SESC DF
Fomento: FAC – Fundo de Apoio à Cultura
Texto e direção: Gabriel F. e Marco Michelangelo
Elenco: Ana Paula Braga, Tati Ramos, Manu Mendes, Martí Güell, Rodrigo Lélis, Gabriel F. e Marco Michelangelo.
Fotos: Diego Bresani
Luz: Camilo Soudant
Fotos de Diego Bresani

 

Copyright© 2018 | Gazeta Brasília - Jornal Online de Brasília | contato@GazetaBrasilia.com.br