SÍNDICOS PROFISSIONAIS ENCONTRAM CADA VEZ MAIS ESPAÇO NO MERCADO

O número de pessoas atuando na área e a procura por cursos de gestão condominial têm crescido nos últimos anos

A profissionalização de síndicos no Brasil tem se tornado um nicho de mercado cada vez mais promissor nos últimos anos. De acordo com o Síndiconet, entre 2005 e 2015, o número de síndicos profissionais cresceu 26% em todo o país e este número tende a se multiplicar dado o aumento da procura por cursos de profissionalização nesta área. A profissão, no entanto, não é regulamentada, mas tem se mostrado uma oportunidade de emprego. Para se ter uma ideia, a média salarial do profissional pode ultrapassar os 6 mil reais e ele também pode trabalhar em mais de um condomínio, já que não existem normas específicas que delimite a atuação.

Uma diferença importante entre o síndico profissional e o velho e bom morador que é eleito para exercer as funções administrativas do condomínio é que o primeiro não precisa morar no condomínio para trabalhar no lugar. Ele assina um contrato e desempenha o serviço como uma profissão. Geralmente o síndico profissional faz cursos e especialização na área e recebe um salário como qualquer outro profissional. O diretor-geral da JR Office, o Dr. Condomínio Aldo Junior, explica que é preciso enxergar o síndico profissional como um avanço social. “Como gestor condominial, percebo que o síndico profissional consegue lidar com as problemáticas cotidianas de um prédio de maneira mais imparcial. Além disso, a capacitação obtida, o fato de receber um salário e assinar um contrato, ajudam a pessoa a se dedicar melhor às tarefas impostas pelo ofício”, destaca o dr. Condomínio. “Não quer dizer que não existam excelentes síndicos moradores e síndicos profissionais desqualificados, mas nossa experiência de mercado tem mostrado cada vez mais como a capacitação do profissional tem ajudado no resultado da gestão”, ressalta.

Apesar dos aspectos positivos trazidos pelo síndico profissional, ainda existem lacunas na área. Primeiramente, a falta de regulamentação da profissão é uma questão que merece ser discutida. Outro ponto importante é a questão salarial. Como definir quanto um síndico profissional deve receber? O tamanho do prédio ou do condomínio horizontal é levado em consideração ao definir a média salarial do profissional? O regime deste trabalhador será regido pela própria CLT ou ele será considerado autônomo? Segundo o dr. Condomínio, é necessário um debate profundo sobre o assunto. “Precisamos ter claro que as funções desempenhadas por um síndico são pesadas, trazem diversas responsabilidades, sobretudo legais, já que ele pode responder civil e criminalmente por tudo que acontece dentro de um condomínio”, lembra o consultor. “São tantas e diversificadas atribuições que se torna um desafio mostrar aos moradores a importância destes profissionais serem bem remunerados”, completa.

Sobre dr. Condomínio – O dr. Condomínio, Aldo Junior, é diretor-geral da JR Office Assessoria Condominial e se tornou conhecido pela vasta experiência em gestão condominial, palestrante renomado sobre temas condominiais em todo o País. Ele estudou Direito, é contabilista, consultor condominial há 30 anos, coordenador-geral e promotor de grandes eventos nacionais como a Unasíndico e o ciclo de palestras condominiais. Ele também é colunista da Franquia Nacional do Jornal do Síndico em 23 estados, dos portais Síndiconet e Universo Condomínio. Em Brasília, Aldo é editor-geral da Folha do Síndico DF.

Sobre a JR Office: a JR Office Assessoria Condominial com sua inteligência em serviços condominiais foi fundada em 1988, em Brasília, e tem 29 anos de experiência exclusivamente na área condominial. O grupo, que tem sede no SIA Trecho 4 e filial em Águas Claras, atende tanto condomínios residenciais, comerciais e abrange dois pilares de sustentação da administração condominial: transparência na prestação de contas e eficiência na cobrança.

Serviço

SÍNDICOS PROFISSIONAIS ENCONTRAM CADA VEZ MAIS ESPAÇO NO MERCADO

Canal do dr. Condomínio, no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCLBt4K7oZt0WypW2ttkcxyA

Site: http://www.jroffice.com.br

Copyright© 2018 | Gazeta Brasília - Jornal Online de Brasília | contato@GazetaBrasilia.com.br